11 de abr de 2010

Tempos (do) (Presente)s


Ei, você, que observa minha estupidez

Não vá me julgar, como se fosse um juiz

Na vida é assim, cada um sabe do que fez

E nem sempre as coisas saem como a gente quis.


Eu queria era a chance de tentar mais uma vez

E quem sabe entrar no time que se sente feliz...




Ei, você que me observa sou eu?

Privacidade parece não ser o forte

Eu olho meu rosto e vejo é o seu

O espelho me fez um perfeito recorte.


E esse recorte, será que doeu?

Dor, tensão, saudade, morte...


~


E aquele sorriso que é meu, cadê?

Guardou para quando estivermos a sós?

Não quero que seja um mero clichê

Mas por essa ausência, tornei-me um algoz.


Não existo mais eu, não existe você

O plural do presente agora somos nós.

~ Thuan B. Carvalho

Um comentário:

  1. Profundo!
    as pessoas quando amam, tendem a se tornar uma só mesmo...
    Na wicca, isso é quando as duas partes se encontram..

    Abrax e gostei do post

    ResponderExcluir