14 de fev de 2014

Parto.


Se o que nasce, antes, fertiliza
De puro amor o corpo, elo sagrado,
Também o verbo – cru – se mimetiza
Pra d'um sincero amor ser deflagrado;

A mãe de toda prosa é a inspiração
Fazendo amor com o tempo a semear,
E o pai, espírito a guiar a mão
Daquele destinado a prosear;


O mais belo mistério, pois, em vida
É ser todo poema oriundo
De um sentimento eterno que engravida,

Cabe ao poeta então, em euforia
Acaso acorde grávido do mundo
Das madrugadas parir poesia.


Thuan Carvalho.