28 de jun de 2012

Transcendência.


Desejou boa noite ao porteiro do clube, amarrou o cadarço do tênis, colocou o fone de ouvido e seguiu para casa.

Distraída no caminho, lembrou-se subitamente do sonho da noite passada, em que voava. Olhou para o céu, como que por instinto, e foi quando recebeu o primeiro pingo de chuva diretamente no queixo. O céu era tomado por um tom cinza-chumbo relampejado de quando em vez por clarões. Uma beleza exótica. 

Parou por um segundo, os olhos fixos nos pingos que desciam cada vez mais rápido, e permitiu-se saborear.

Respirou fundo, sentindo o cheiro de terra molhada; amarrou os cabelos, para sentir melhor a chuva; retirou o fone de ouvido, para ouvir os sons do mundo; fechou os olhos, para ver apenas com os outros sentidos; estendeu ambos os braços, a fim de tocar a água que descia do céu; abriu a boca, deixando a água preenchê-la totalmente; largou a bolsa ao chão, para suportar apenas a leveza da chuva. 

Enfim, durante aquele milésimo de eternidade, comungou com seu espírito e foi tudo o que nasceu para ser...


Daí para frente, quem a descreve é o silêncio.
(...)



Thuan B. Carvalho

27 de jun de 2012

Frenesi.



Etérea, a feminina louca
Armou-se de si, quão desvairada;
Jorrava encantamentos pela boca
Que, ditos, já não valiam nada;

Girava o mundo todo, e sacudia,
Diziam “esta jaz enlouquecida”;
Mas a verdade só ela sabia,
Estava no apogeu, cheia de vida;

A tapas, sem cessar, dispunha a cara
Dor em si era coisa muito pouca
Perto da alegria conquistada;

Jurava que a vida lhe segredara
Naquela voz tão sua, baixa e rouca:
“O mundo, meu amor, é uma piada”.




Thuan B. Carvalho

26 de jun de 2012

Aflição.



Olhou para trás pela sétima vez enquanto corria desabaladamente, entrando em vielas que julgava nem existirem. Sentia o coração bater no pulso, as pernas cederem ao cansaço, o sangue povoando o corpo, e a adrenalina brotar de cada poro de sua pele. Mas não podia parar. A tensão do momento se intensificava a cada passo, mas ela via luz à frente de uma esquina. Reuniu todas as forças sobressalentes e impulsionou o corpo desgastado rua a frente, na ânsia de alcançar aquele ponto luminoso. Sabia que era sua última chance. Tinha que continuar. Por si, por seus filhos, por seus pais. Inspirou pelo que parecia ser a última vez, levou os pés com sua força derradeira, e chegou finalmente ao fim da rua.

Mas então, quando virou a esquina...



Thuan Carvalho.

16 de jun de 2012

EnForca.




_ O _ A _ _ O


...

Estranho é viver num mundo em que cada vez mais se coloca horário onde sempre vai caber o coração.



Thuan Bigonha de Carvalho.

6 de jun de 2012

A Rosa do Amor














Quando o Amor fora moleque arteiro,
Nos Jardins da Eternidade,
Desafiou quem seria o primeiro
A pecar pela quantidade.

Havia em teus rosais um letreiro
Vestido da perene verdade
Gritando: “espinho faceiro!
Toque e ficarás por metade.”

O amante, achando absurdo,
Vestido de amor e paixão,
Fez-se então de ouvinte a surdo;

A mensagem transpassou suas orelhas,
Seu regado fez das rosas vermelhas,
Com o sangue de seu Coração.


                                 Thuan B. Carvalho