23 de jul de 2013

Atrás da Porta



Chega de recados mal dados de relatos fadados à devastação
Chega de calos pensados de fardos herdados da revolução
Chega e me cala falado e só fala calado pro meu coração.

Vai bendizer tua crença vai morrer da doença que assola teu imo
Vai refazer desavença vai ver quem dispensa teu eu bailarino
Vai e me volta criança e só cria esperança pro meu desatino.

Chega e sai sem demora do aqui e agora donde eu te preciso
Chega e sai nessa hora e finge que namora meu próprio sorriso
Chega vai me adora de forma sonora em segredo conciso.

Vai chega logo e me entorta e me planta e me corta pra causar teu palor
Vai chega e diz que não importa e sussurra “está morta” tua falta de amor
...
Vai chega e bate em minha porta
chega e invade minha aorta -
desabotoa meu interior.
Thuan Carvalho.