9 de fev de 2010

Quotidiano IV - Light out, Black in



Plaft! Também pudera, com um relâmpago daquele porte não haveria como a luz não acabar. Acendeu uma vela, usou o fundo do copo como suporte, e iluminou o quarto para continuar lendo. Não ouviu a multidão gritando apavorada, nem sentiu o medo das pessoas nas ruas, simplesmente porque do claro veio o escuro. Ignorou os muitos pedidos a deus para que a luz voltasse, simplesmente para que terminassem de assistir à novela.



Não, ele realmente não fazia parte dos outroscentos que choravam o fim do mundo só porque a energia elétrica havia se esvaído. A luz da qual ele necessitava emanava de si.





Thuan B. Carvalho

Um comentário:

  1. No fim dos tempos não terão forças para lutar os mais fortes, não terão chão para pisar os mais firmes, não serão mais felizes os mais ricos, não serão mais aptos os mais inteligente,...
    Os que forem capazes de perceber o prazer que há em procurar a vitalidade no ser de si, poderão encontrar por intermédio da sabedoria a socrática luz da razão que além de iluminar a mente, energiza o corpo tornando-o apto para ser forte, firme, feliz, rico e inteligente o bastante para transpor obstáculos aprendendo a vivenciar tudo o que o palpável é incapaz de proporcionar.

    Saudações à sabedoria do poeta!

    ResponderExcluir