30 de nov de 2010

Crise de Inconsciência


Na verdade eu não sou. Não existe quem sou eu. Me encontro no intervalo vago entre um suspiro e outro de meu próprio coração. Estou entre as batidas salpicadas de amor. No lapso temporal TUM - TUM. E ali estou eu. Sou o que não posso ser, sou a parte ruim, o lado negro. Sou a parte de mim que te assustaria, se você soubesse que existe, claro. Sou suprimido. Sufocado. Costumo não ser exprimido por nem uma hora sequer do dia. Mas há dias em que apareço. E nesses dias, ah nesses dias! Sou o veneno mais colorido. A picada que mais fere. Sou a noite da sexta-feira 13. O eclipse de meu próprio coração. Para que você tenha noção de quão perigoso é o chão onde agora você pisa, prendi sua atenção por dois preciosos minutos tentando explicar quem eu sou, sendo que na verdade, na verdade que mais chega perto de mim - uma contradição de uma inverdade mais do que clara -, não sou.

Thuan Bigonha de Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário