2 de dez de 2010

Wall Exchange


É tão estranho. Eu achei que estava pronto. Mas não, você é mais diferente da parede do meu quarto do que eu imaginava.



Hoje mais cedo eu ensaiei essa conversa, e, tenho certeza, com todos os pingos nos “i”s e cortes nos “t”s. Como sua reação pode ter sido tão diferente? A parede do meu quarto continuou cinza, dura, fria e silenciosa ao me ouvir; enquanto você ficou vermelha, mole, quente e emitiu sons, que ecoam até agora no labirinto de meus ouvidos. Você gritou comigo, jogou seu sentimento na minha cara, e me disse para crescer. É claro que eu não esperava! Você queria o que? Ensaiei milhões de vezes, e tudo o que recebi em resposta foi o vazio. Você era mais tranqüila quando feita de concreto. Quando foi que você se derreteu? Você é mais pesada agora em minha consciência do que a parede que cerca meu quarto. Como você pôde reverter a situação em um instante, e me fazer chafurdar nos argumentos que eu mesmo expus? E você me explicou. E me mandou implantar um coração na parede do meu quarto antes de discutir qualquer coisa com ela. E eu entendi. Entendi que um coração muda tudo, que onde há um coração, há reações as mais obtusas, as mais inesperadas, as mais surpreendentes. E através de suas palavras, de meu orgulho que me cega, de meus argumentos infundados, foi que eu vi que eu sou frio, duro, incolor, vazio, silencioso.



É tão estranho. Eu achei que estava pronto. Mas não, eu sou mais parecido com a parede do meu quarto do que eu imaginava.



Thuan Bigonha de Carvalho

4 comentários:

  1. Nuss... o que dizer... seus escritos sempre se encaixam perfeitamente no que procuro... e essa não foi diferente!
    Meu escritor favorito! O melhor...
    Me inspira... =D

    ResponderExcluir
  2. Parceiro.. vc é foda..
    Excelente..

    ResponderExcluir
  3. Thuuuuuuuuuuu, tu és um escritor, meu lindo!!! Estou impressionada com seu texto e a profundidade do que vc escreve. Vc é um romancista!!! Escreva mais e publique, sempre.
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir