17 de jan de 2010

Ponto (final) de Vista.



A pés descalços e passos firmes, esperando sinceramente que o nascer do sol fizesse renascer, rumou para a areia da praia, bem ali onde a espuma das ondas calmas tocasse seus pés, e sentou-se a esperar.


Um fino traço anil cobria o horizonte, sinal de que em pouco tempo o espetáculo do dia-a-dia iria começar. Notou que estava sozinho na praia àquela hora, e sorriu ao perceber que tudo parecia se encaixar.


Enquanto olhava distraído, uma das mãos traçava involutariamente um desenho na areia. Foi quando parou, e reparou. Notou que o desenho não era um coração, nem continha iniciais, como ocorria sempre. Percebeu então que seu subconsciente, que vinha usando de trapaças para confrontar o consciente, havia finalmente cedido.


Levantou-se de sobressalto, correu o mais rápido que pôde, e mergulhou no mar. Saiu da água sentindo-se o primeiro na Terra e o último em Plutão, enquanto o sol nascia em ritmo acelerado, iluminando suas costas sorridentes e salgadas. Nem se deu ao trabalho de olhar para trás.




No entardecer, numa conversa informal com a Lua durante a troca de turnos, o Sol então comentou:


- Demorei para sair da cama, tive que nascer com pressa, e quase perdi o renascer de um ser. Pelo menos deu pra pegar o finalzinho, quando ele já subia, imponente e radiante, por aquela camada de areia. Foi lindo.





Thuan B. Carvalho

5 comentários:

  1. Saudades da tua escrita.
    Sempre achei que fosse você o melhor escritor que eu já havia conhecido "pessoalmente", já que te conheço mesmo que seja em sua impessoalidade.

    =)

    Saudades das tuas palavras bem formadas.

    ResponderExcluir
  2. Ao som de Nara Leão e Chico Buarque, mais precisamente uma canção chamada "joão e Maria", comecei a ler seu blog. E quando utilizo o verbo "começar" não o faço por acaso, pois essa é a real sensação que sua escrita me transmitiu: Começo... começo... Recomeço...Começo...

    São palavras que começam e simplemente não terminam por "sofrerem" de impossiblidade de conclusão.

    O texto termina e apenas um pensamento ne vem a mente:
    Começo... a que horas ele começará a escrever outro? Começo... a que horas começarei minha jornada... Começo... vou à praia mergulhar e quem sabe assim como a sua escrita eu possa renascer, ou melhor, RECOMEÇAR!

    Sem mais delongas, passarei por aqui constantemente.

    Um esboço de sorriso.

    ResponderExcluir
  3. Haha!
    Também que renascer! Quem sabe não vou à praia bem cedinho e dou um pulo no mar ?
    Muito bom Thuan!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir