14 de fev de 2014

Parto.


Se o que nasce, antes, fertiliza
De puro amor o corpo, elo sagrado,
Também o verbo – cru – se mimetiza
Pra d'um sincero amor ser deflagrado;

A mãe de toda prosa é a inspiração
Fazendo amor com o tempo a semear,
E o pai, espírito a guiar a mão
Daquele destinado a prosear;


O mais belo mistério, pois, em vida
É ser todo poema oriundo
De um sentimento eterno que engravida,

Cabe ao poeta então, em euforia
Acaso acorde grávido do mundo
Das madrugadas parir poesia.


Thuan Carvalho.

6 comentários:

  1. Gestação das palavras, do verbo a ser dito. Sintonia das frases em versos escritos.
    Gravidez da mente inquieta, do peito aberto ao sentir de muitas sensações. Talvez seja ela, as sensações o embrião que se forma em que cada poeta.
    Conhecendo o Blog, aos pouquinhos me atualizando! Bom achar coisas boas!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Thuan: que belo poema. Bem construído. Ritmo e feeling. Gosto assim. Blogs estão sendo tão pouco visitados,não é mesmo? Mas eu não abro mão deles. Muito legal o seu. Meu abraço,até mais.

    ResponderExcluir
  3. Que belo!... Muito embora ao ler os primeiros versos quase tenha saído um palavrão, rs...
    Seremos poeticamente corretos: Ficou INEFÁVEL (eis o palavrão ;) )!!!

    Beijos =)

    ResponderExcluir