12 de dez de 2013

Ver-te Verde



Não se compara a qualquer terra
o verde de teus olhos, jardim
pois que nele a ausência se encerra
e brota os pedaços de mim;
 
E nascido de ti, me imagino
tão apto a frutificar
que viver só me é desatino
se de dentro do teu olhar;

O céu da tarde esverdeia
o mar, as ondas, areia
a lava de um vulcão,

Ardor de uma aranha na teia
verde é o tom que incendeia
o olho do meu furacão.


Thuan Carvalho

8 comentários:

  1. Um olhar esverdeado pode ser fatal!

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito! Como uma primavera em apogeu.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Thuan, há muito tempo que eu não lia nada que me fizesse sentir tão estranhamente emocionada e feliz, como ao ler este seu poema. Obrigada pela sua amizade, você realmente é um ser muito especial.
    Desejo-lhe um Natal lindo e Iluminado.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito . Intenso e ao mesmo tempo leve .

    ResponderExcluir
  5. Muito bem escrito em estrofe.
    Um abraço grande e votos de Feliz natal :)

    ResponderExcluir
  6. Venho desejar-lhe Um FELIZ 2014 onde os seus posts possam espelhar alegria e amor...

    Um abraço amigo

    ResponderExcluir