19 de out de 2012

Pergunta In Verso

Qual é a cor do som que toca
As profundezas da alma da foca?

Quem me levou embora
O doce gosto amargo da amora?

Qual será a sensação
De ser Sol quando finda o verão?

Quando foi que aconteceu
De a memória esquecer você e eu?

Como é mesmo que fazia
O som que sua risada dormia?

Onde foi parar a textura
Que pintava nossa vida futura?

Qual é o nome do segredo
Que em silêncio te mata de medo?

Como se porta o pardal
Que te encanta do meu varal?

Quem é que é teu por direito
Pra que guardes no fundo do peito?

Quanto vale um dia inteiro
Sem da flor o ínfimo cheiro?

Quando será comemorado
O dia do céu nublado?

Qual o tempo exato do erro
A mão do gatilho ou os olhos no enterro?

Qual o passo certo da dança
Envelhecer ou crescer criança?

Quanto dói encher a vida
De orgulho, egoísmo e ferida?

Qual o gosto do som que faz
Teu demônio ficar em paz?

Que resquício divino te segue
Pra tua cruz não haver quem carregue?

Qual a alcunha promíscua e infame
Que você goza ao gritar meu nome?

Onde é que mora o passado
No choro do adeus ou no abraço apertado?

Por que foi que quando eu disse o que queria
disfarçado de poesia
restou-me a fotografia
e o tom cinza do licor?
(...)
Por que amor?


Thuan Bigonha de Carvalho.

7 comentários:

  1. Nossa menino, que coisa mais linda! e espontâneo! Uma perfeição, me apaixonei!

    ResponderExcluir
  2. Lindo... lindo...

    E o final?!... Bom, não teve como não sorrir ;)

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  3. Versos deliciosamente poéticos! Seu brincar com as palavras é tão instigante e suave que desde os primeiros versos meus lábios não conseguiram conter o sorriso.
    Meu sorriso mais difuso ao poeta!

    ResponderExcluir
  4. Qual o gosto do som que faz
    Teu demônio ficar em paz?

    ResponderExcluir
  5. Hola Thuan, luego de un tiempo de ausencia en mi sitio paso nuevamente para leer tus bellas letras.
    Precioso post, un placer leerte, te dejo un fuerte abrazo

    _000000___00000___
    00000000_0000000___
    0000000000000000____
    _00000000000000_____
    ___00000000000_____
    ______00000_______
    ________0________
    ________*__000000___00000
    _______*__00000000_0000000
    ______*___0000000000000000
    ______*____00000000000000
    _______*_____00000000000
    ________*_______00000
    _________*________0
    _000000___00000___*
    00000000_0000000___*
    0000000000000000____*
    _00000000000000_____*
    ___00000000000_____*
    ______00000_______*
    ________0________*
    ________*__000000___00000
    _______*__00000000_0000000
    ______*___0000000000000000
    ______*____00000000000000
    ______*______00000000000
    _______*________00000
    ________*_________0
    _________*________*
    _________*_________*
    ____________________*
    ____________________*
    ___________________*

    Buen fin de semana!

    ResponderExcluir
  6. certas coisas são isentas de explicação. belo poema

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Caro Thuan,
    belíssimas as tuas perguntas, me lembraram Neruda e o "Livro das Perguntas" conhece?

    Alguns destes teus poemas, para meu gosto, estão no nivel dos dele.
    Parabéns!

    ResponderExcluir